História e memória

pazos1965_P4_altaO Observatório do Valongo descende do antigo Observatório Astronômico da Escola Polytechnica, fundado em 1881 pelo Dr. Manuel Pereira Reis, ao lado do Convento de Santo Antônio, no Morro de Santo Antônio. Sua criação foi norteada por necessidades didáticas: o observatório teria a função principal de prover aulas práticas de Astronomia e Geodésia aos alunos da Escola Politécnica (Poli) e aos aspirantes da Escola da Marinha. Em 1901, iniciou-se a compra dos instrumentos que dariam início à montagem deste observatório.

 

Em 1907, chegou ao Brasil o Telescópio Refrator Cooke & Sons, equipado para fotografia astronômica, à época o maior refrator do país. Essa função-mor de instituição para ensino da Astronomia veio a ser a principal característica do observatório, mesmo após sua transferência para o Morro da Conceição, na década de 1920, devido às necessidades de urbanização da cidade do Rio de Janeiro. O novo observatório fundado foi nomeado, inicialmente, Observatório do Morro do Vallongo, pois no terreno onde veio a ser erigido, havia a Chácara do Valongo.

 

Em 1929, com o falecimento do então diretor Manuel Amoroso Costa, as atividades no observatório entram em um processo de estagnação. As aulas práticas passam a ser ministradas quase exclusivamente por um professor, o preparador-mor de Astronomia Orozimbo Lincoln do Nascimento. Em 1936, falece o professor Orozimbo do Nascimento. Os anos seguintes são marcados pela quase ausência de atividades acadêmicas no observatório.

 

Em 1957, as instalações do observatório são cedidas ao Centro Brasileiro de Pesquisas Astrofísicas (CBPA), uma organização privada que busca criar um parque de divulgação científica e pesquisa no local. Essa cessão é revogada no ano seguinte, por conta de irregularidades cometidas por sua administração. A despeito disso, coube ao grupo do CBPA iniciar a lenta retomada do observatório que, até então, se encontrava abandonado.

 

Ainda em 1957, Mário Ferreira Dias e Alércio Moreira Gomes, astrônomos do Observatório Nacional, incompatibilizados com o então diretor, o matemático Lélio Gama, demitem-se de seus postos e transferem-se para o OV. Um ano mais tarde, recebem outro colega advindo do Observatório Nacional: Luís Eduardo da Silva Machado. Os três astrônomos criam, em 1958 o Curso de Graduação em Astronomia da Faculdade Nacional de Filosofia (FNFi), do qual o Observatório do Valongo seria o sítio de aulas práticas, tal como fora para os alunos da Politécnica. Dá-se início então a uma grande tarefa de limpeza e recuperação do prédio e dos instrumentos, que começam a ser usados para o ensino na graduação. Com a reforma universitária de 1967, o Observatório foi incorporado à UFRJ como órgão suplementar do CCMN, ligado ao curso de graduação em Astronomia, do Instituto de Geociências (IGeo) dessa mesma universidade.

 

A partir de 2002, o Observatório ganhou status de unidade da UFRJ, sede do curso de graduação em Astronomia. Em 2008, o Observatório comemora os 50 anos da criação do curso de graduação em Astronomia.

 

Efemérides

  • 1881 – Fundação do Observatório Astronômico da Escola Politécnica
  • 1924 – Início da transferência do observatório para a Chácara do Valongo
  • 1936 – Abandono das atividades letivas no observatório
  • 1957 – As instalações do observatório são temporariamente cedidas ao Centro Brasileiro de Pesquisas Astrofísicas.
  • 1958 – Criação do curso de graduação em Astronomia da Faculdade Nacional de Filosofia, sediado no observatório
  • 1964 – Formatura do primeiro aluno graduado em Astronomia
  • 1967 – Incorporação do Observatório do Valongo à UFRJ como unidade complementar
  • 1986 – Projeto Halley: primeiro grande projeto de extensão universitária do observatório, que congregou alunos e docentes em atividades voltadas à divulgação da passagem do cometa Halley para a comunidade
  • 1993 – Formatura do centésimo aluno graduado em Astronomia
  • 2002 – Promoção do Observatório a instituto da UFRJ
  • 2003 – Criação do Programa de Pós-Graduação em Astronomia da UFRJ, sediado no Observatório
  • 2008 – Jubileu de ouro do curso de Graduação em Astronomia
  • 2014 – Formatura do ducentésimo aluno graduado em Astronomia

Administração

Entre 1881 e 1967, o Lente Catedrático de Astronomia e Geodésia (ou cadeira similar) da Escola Politécnica ocupava o cargo mais alto na estrutura do observatório. A partir de 1967, o observatório passou a ter um diretor propriamente dito, eleito entre os docentes do Departamento de Astronomia do Instituto de Geociências da UFRJ. A partir de 2002, este departamento foi inteiramente transferido para o Observatório do Valongo.

 

Em duas ocasiões, o Observatório do Valongo experimentou um curto período sem um diretor ou responsável similar. Na primeira vez, entre 1929 e 1930, após o repentino falecimento do Prof. Manuel Amoroso Costa num acidente aéreo, a cátedra de Astronomia ficou vaga por 2 anos. E novamente, entre 1965 e 1967, durante a transição do observatório da Escola Politécnica para seu status de órgão complementar da UFRJ. Todavia, durante esse último período, a Comissão de Astronomia da Faculdade Nacional de Filosofia, responsável pela implementação do curso de graduação em Astronomia, já respondia informalmente pelo uso do observatório para aulas práticas.

 

Galeria de diretores

Manoel Pereira Reis_3X4

Manuel Pereira Reis

1881-1912

FranciscoBhering

Francisco Bhering

1913-1923

AmorosoCosta

Manuel Amoroso Costa

1924-1929

allyrio-hugueney-de-mattos-escola-nacional-de-engenharia-14082-MLB4073387854_042013-F

Allyrio Hugueney de Mattos

1930-1956

HugoRegis

Hugo Régis dos Reis

1956-1965

machado

Luís Eduardo da Silva Machado

1967-1990

Gilson_3X4_Color_01

Gílson Gomes Vieira

1990-1995

Heloisa

Heloísa Maria Boechat Roberty

1996-2002

Gustavo F. Porto de Mello

Gustavo Frederico Porto de Mello

2002-2006

Silvia Lorenz Martins

Silvia Lorenz Martins

2006-2014

Helio Jaques Rocha Pinto

Helio Jaques Rocha-Pinto

2015-atual